Lá vai o Zé,

Por entre a multidăo,

Correndo, apressado,

Prá bajular o seu patrăo.

 

Lá vai o Zé,

Atrás do mínimo salário

Correndo, apressado,

Prá chegar no horário.

 

Chega domingo, tem praia,

Capoeira, rabo-de-arraia,

No parque o Zé descansa,

Se transforma em criança.

 

Lá vai o Zé,

Sem ambiçăo nem ideal,

Correndo, apressado,

A pensar no carnaval.

 

Lá vai o Zé,

E assim a semana inteira,

Correndo, sem pensar,

Porque pensar é besteira.

 

Chega domingo, tem praia...

 

Lá vai o Zé,

Seu domingo teve fim,

Sorrindo, sem pensar,

Seu domingo é sempre assim.

 

Lá vai o Zé,

Correndo pro seu lar,

Toma, quando tem, seu café,

Cai na cama a descansar.

 

Chega domingo, tem praia...