Trevas da Guerra

 

Outra oração, dedos calejados,

Desfiam contas de prece...

Uma procissão de desajeitados,

Vendidos ao mundo, escurece.

 

           Trevas da guerra,

           De bombas, folguedos,

           Aos céus e a terra,

           Povoam aos medos.

 

Ordem, desordem,

Corre-corre geral,

Homens se mordem,

Numa luta infernal.

Loucos de anseios,

Roucos, oprimidos,

Tristes receios,

De homens banidos,

Querendo voltar

Com liberdade,

À sua terra, seu lar,

À sociedade.

 

           Trevas da guerra...

 

Crianças, estilhaços,

Palhaços, tristonhos,

Batalhas, cansaços,

Esperanças e sonhos.

Esperando voltar,

Enquanto há vida

E ter forças prá amar,

A terra querida.

Semear, nesse chão,

Um pouco de alegria,

Do festim, do canhão,

Fazer poesia.

 

           Trevas da guerra...