Mini-Homenagem

 

Desce a Calouros do Samba,

Mostrando na sua humildade,

Batuqueiros, cabrocha bamba,

Alegrando a cidade,

Desta vez prá homenagear

Nossas figuras populares,

Pessoas que souberam amar

Mesmo nos momentos mais singulares.

 

Laraiá, laraiá, laraiá, laraiá...

Olha o povo na rua, querendo cantar.

Laraiá, laraiá, laraiá, laraiá...

Olha o povo na rua, querendo sambar.

 

Barão, "a vida está no sentir",

Sô Marcílio, "chuva chove no molhado",

Tunuquim, o importante é sorrir,

Bié, "falou falado".

 

Elisa, parteira sem igual,

Fenderracha, sua flauta eloqüente,

Juca Damato, delegado genial,

Tilúcio, sua escola mexe a gente.

 

Laraiá, laraiá, laraiá, laraiá...

 

Manga-Rosa, seu violão ainda ressoa,

Sô Nilo, Odilon, estão presentes,

A vida continua boa,

Lá de cima, sei que sentes.

Belarmino, a arte não morreu,

Renatinho avivou a fogueira,

Canaã, Sapeense, Ateneu,

Fundão, Chopotó, Cachoeira,

 

Sô Cid, Dilermando, Otaciano,

Eduardo, Fransciquinho, e o Cruz,

Dr. Mário, Padre Oscar, Sô Trajano,

Cândido e os que ainda não pus.

Desculpas, eu imploro,

Não foi por ingratidão,

Por falta de espaço, me coro,

A culpa foi da canção.

 

Laraiá, laraiá, laraiá, laraiá...