Zé do Fio - Barão

Figura popular, folclórica, o Barão viveu sabiamente a vida. Bon vivant, deixava para amanhã o que se podia fazer hoje. Parecia até baiano, em que a semana tem oito dias, 2, 3, 4, 5, 6, sábado, domingo e amanhã.

Cantava, voz tonitruante : "De manhã me faz a barba/ A tarde me dá beijinho/ Engoma meu terno branco/ E eu saio bem bonitinho". Ou então : "Esta me dava de tudo/ Me dava meia, sapato/ Terno de Casimira e Camisa de Veludo".

A sua frase filosófica mais marcante foi "A vida esta no sentir".

Certa vez, apanharam-no distraído, às margens do Chopotó, perto da Cachoeira, vara de pescar à mão. Querendo ironizá-lo, instigaram-no :

- Barão, como é que você quer pescar com o anzol fora dágua ?

- Quem disse, prezado; que eu estou pescando. Estou apenas conversando com a natureza.