ABC...DEFiciente   (15/09/81)

 

Afoita a sabedoria que engrandece,

Bestial a censura que se instiga,

Catastrófica a ambição que se apodera,

Dilacerante a ferida que não se cura,

Eloqüente o discurso inconseqüente,

Flagelo que açoita nossas mentes.

 

Galopante estrepitar e abusivo,

Hostil na mão que se estende acuada,

Inópia a voz que se ouve fugaz,

Jovial e benvinda mensagem de paz.

 

Lucidez da extrema unção

Moribunda que dita a verdade,

Nosocômio de vantagens e determinações,

Onipresente de vontades alheias,

Perspicazes em futurólogos senis,

Questão de poder e arbítrio,

Resíduos de um passado presente.

 

Sóbria a humildade que se registra,

Tambores que não rufam rancores,

Unidade retratada em traços de paz,

Versos e ventres parideiros,

Xaropes homeopáticos existenciais,

Zelam por nós, pobres e zambetas.